Grito dos Excluídos é marcado para feriado de 7 de setembro

Dia 7 de Setembro, às 09hs, na Praça da Sé, acontece o ato do 26º Grito dos/as Excluídos/as de São Paulo.

Com o tema “Terra, teto, trabalho e democracia – Pão e viver bem!”, o ato integra o calendário de mobilizações nacionais do Grito dos Excluídos 2022, que traz como lema “BRASIL: 200 anos de (In)dependência. Para quem?

O Dia da Pátria é o momento ideal para refletirmos sobre a construção de uma sociedade justa, solidária, plural e fraterna. É um dia de sair às ruas, comemorar, refletir, reivindicar e lutar.

Neste dia de consciência política de luta, vamos ecoar o grito dos/as excluídos/as.

GRITO DOS EXCLUÍDOS e EXCLUÍDAS SP
Para as entidades envolvidas na organização do Grito de SP, é preciso ecoar o Grito quando “famílias despejadas lotam as ruas das cidades, sem emprego, pão e saúde. O ódio aos pobres, a juventude enfrentando o desemprego, os baixos salários e péssimas condições de trabalho. A violência policial, o encarceramento em massa destrói famílias nas periferias, atingindo principalmente a população negra. Os ataques aos povos indígenas e a nossos ecossistemas. O aumento do feminicídio, a violência contra crianças, pessoas idosas e pobres. A ausência de políticas de assistência social, de saúde ou educação”.


Os coletivos e movimentos que constroem o 26o Grito servirão lanche com café às pessoas em situação de rua das 7h30min às 9hs, quando começará o ato, com atividades culturais e manifestações dos organizadores.

GRITO DOS EXCLUÍDOS e EXCLUÍDAS
A proposta do Grito dos Excluídos e Excluídas surgiu em 1994, a partir do processo da 2ª Semana Social Brasileira, da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), cujo tema era “Brasil, alternativas e protagonistas”. O primeiro Grito dos Excluídos/as foi realizado em 7 de setembro de 1995, com o lema “A vida em primeiro lugar”, e ecoou em 170 localidades.
A partir de 1996, o Grito foi assumido pela CNBB, que o aprovou em sua Assembleia Geral, como parte do PRNM (Projeto Rumo ao Novo Milênio – doc.56 nº 129).

Construção coletiva, mais que uma articulação, o Grito é um processo, uma manifestação popular que integra pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos/as excluídos/as.
A proposta questiona os padrões de independência do povo brasileiro, assim como ajuda na reflexão para um Brasil que se quer cada vez melhor e mais justo para todos os cidadãos e cidadãs.

[ Notícias relacionadas ]

Frente Paulista veicula outdoors pelo estado de São Paulo na reta final das Eleições

Assetj

Frente Paulista entrega pauta unificada ao candidato Haddad

Eventos

Presidente Gozze representa a Pública em encontro com Haddad em São Paulo

Eventos