Carta aberta ao funcionalismo

por Frente Paulista em Defesa do Serviço Público

Categorias: Funcionalismo
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

A CCM Iamspe (Comissão Consultiva Mista), colegiado que reúne associações e sindicatos representantes dos usuários do Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo), vem por meio desta divulgar nossa inconformidade com a situação que o Iamspe e o HSPE (Hospital do Servidor Público Estadual) têm passado.

Os problemas na demora de marcação de consultas, exames de imagem ou clínicos, cirurgias se avolumam numa quantidade nunca antes vista. É visível a queda de qualidade e a enorme dificuldade no acesso à saúde em toda rede credenciada e no HSPE.

Constantemente somos informados de descredenciamentos, fim de atendimento em Hospitais e demais equipamentos de saúde, sem que ocorra a devida substituição de maneira hábil e satisfatória.

A política de terceirizações no interior do HSPE avança sem resultados satisfatórios, pois as filas e a demora são uma constante, basta vermos a situação do PS (Pronto Socorro), onde usuários são atendidos em macas acumuladas nos corredores. A fila para cirurgias no HSPE se acumulam sem perspectiva de solução ao paciente, além do fechamento da ouvidoria, que hoje funciona apenas de modo virtual.

No interior a situação em determinadas regiões beira o abandono, como em Presidente Prudente. As queixas dos usuários são ouvidas de leste a oeste, norte a sul, sendo os problemas os mais diversos, desde a falta de convênio Hospitalar, de laboratórios de imagem, ou mesmo de clínicas para consultas.

Não podemos esquecer que em outubro de 2020 foi aprovado na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) a elevação das alíquotas de contribuição dos usuários ao Iamspe, resultando num orçamento em torno de 1 bilhão e 600 milhões de reais. E apesar do brutal aumento orçamentário proveniente dos nossos salários congelados, a qualidade/quantidade de atendimento não ocorreu. Devemos lembrar ainda que o Governo do Estado aproveitou-se do aumento da alíquota do usuário, para reduzir para ridículos 4 mil reais anuais a sua contribuição ao Iamspe.

Juntando tudo isso, fica claro para nós, que a atual administração do Iamspe é inoperante, insatisfatória, e que não corresponde às nossas necessidades. O que o Iamspe precisa é uma nova forma de administrar. Com mais democracia e transparência. Com o real comprometimento do Governo do Estado com a saúde de seus trabalhadores, e não apenas nessa espiral de terceirizações sem fim, e sem resultados positivos.

Precisamos que o Governo do Estado participe do orçamento do Iamspe na mesma proporção que a nossa;

Precisamos de um Conselho Administrativo e de um Conselho Fiscal que sejam deliberativos e com a participação do funcionalismo de forma paritária;

Precisamos escolher o Superintendente do Iamspe.

Mais democracia, mais transparência e melhor atendimento!  

Assinam esta Carta Aberta as entidades da Frente Paulista em Defesa do Serviço Público.

[ Notícias relacionadas ]

Professora Bebel convoca audiência pública pelo fim do confisco

Funcionalismo

Frente Paulista convoca Twittaço contra o Confisco

Funcionalismo

Você sabe o que é e como funciona nossa campanha salarial?

Funcionalismo