Servidores exigem reposição inflacionária e diálogo com TJSP
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
18/5/2019 - Assetj / Por Assetj
 

Servidores do Poder Judiciário de diversas comarcas e capital participaram nesta sexta-feira (17)  da segunda Assembleia Geral do ano da categoria, após o TJSP conceder apenas 3,94% de reposição salarial, enquanto a defasagem está em 16,83%.

No dia 16, representantes de entidades dos servidores estiveram reunidos com a Comissão de Orçamento e Finança do Tribunal, que estava despreparada e sem conhecer a pauta de reivindicações da Campanha Salarial de 2019. Os dirigentes entregaram uma cópia e questionaram os pontos da pauta prioritária. Como o presidente da Assetj José Gozze lembrou na Assembleia, a resposta para todos os questionamentos foi: “precisamos consultar o presidente Calças”. 

“Esta é a pior gestão que temos no Tribunal nos últimos dez anos, sem diálogo, sem negociação. Ao contrário do que disse em sua primeira reunião, o presidente Calças não está priorizando os servidores”, afirmou Gozze.

Até o momento, o presidente do maior Tribunal da América Latina se nega a participar de mesa de negociação com as entidades e designa assessores que não podem efetivamente dar nenhuma resposta concreta à nenhuma solicitação.

O deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) participou do ato na Praça João Mendes. Mencionou que estão discutindo na Alesp a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do ano, que já foi adicionada verba no orçamento para pagar o Nível Universitário aos Escreventes e que agora depende do Tribunal encaminhar o Projeto de Lei. “O PL 3/2018 autoriza o Tribunal de Justiça a instituir o nível universitário, já passou por todas as comissões na Alesp e é autorizativo. Os deputados estaduais já aprovaram o orçamento e depende de vontade política do Presidente Calças”, afirmou Giannazi.

 

Outro assunto mencionado por Giannazi é a Reforma da Previdência que está em andamento e ataca toda a população. Na Alesp, recentemente  foi lançada a Frente em Defesa das Aposentadorias, da qual Giannazi faz parte e que pretende pressionar partidos e deputados federais. Todos os presidentes de entidades estão contra a Reforma da Previdência e têm divulgado em suas bases os ataques do Governo e as verdadeiras razões para as mudanças.

Encerrando a sua fala, Giannazi irá apoiar sessão solene e ato de luta pelo Nível Universitário na Alesp no dia 3 de junho, data que se comemora o Dia do Escrevente Técnico Judiciário. 

Dando continuidade à assembleia, os servidores presentes aprovaram as seguintes deliberações:

  • Majoração imediata no auxílio-saúde;
  • Exigência na participação das discussões a respeito do Plano de Saúde do TJSP;
  • Dia 3 de junho - Ato na Alesp pelo Nível Universitário;
  • Dia 3 ou 5  de junho - Ato pelo Nível Universitário e abaixo assinado contra a Reforma da Previdência na entrada de todos os prédios das 12h às 13h;
  • Dia 14 de junho - Participação dos servidores do Judiciário na Greve Geral;
  • Dia 6 de setembro - Data da nova Assembleia.

 

Após aprovação da pauta, os servidores saíram em passeata pelas ruas do Centro de São Paulo e finalizaram na entrada do Palácio da Justiça.

José Gozze foi um dos líderes que tentou a entrada para dialogar com o presidente Calças, mas teve seu acesso barrado, sob a justificativa de que “não tinham certeza de Calças estaria no prédio”. Gozze pediu para deixar subir para que pudesse conversar com algum juiz assessor e novamente sua entrada foi proibida, pois o TJSP estava sediando um evento de corregedores e o 5º andar estava bloqueado.

Gozze, mais uma vez tentando dialogar, pediu que algum dos assessores da presidência descessem até a entrada do Palácio para conversar com ele e todos os servidores presentes. Espantosamente, recebeu a seguinte resposta: “nenhum deles quer descer”.

Toda essa tratativa com os servidores do prédio e seguranças foram repassadas à categoria que esperava em frente à entrada e o ato foi encerrado, sem nenhum diálogo com a gestão Calças. 

Participaram da assembleia servidores dos seguintes prédios:

Capital - Brás, Barra Funda, Execuções Fiscais, Glória, Hely Lopes, Itaquera, Jabaquara, João Mendes, Palácio, Pinheiros, Santo Amaro, Tatuapé e Vila Prudente.

Demais cidades: Americana, Assis, Bertioga, Campinas, Cubatão, Dracena, Franca, Guarujá, Guarulhos, Itanhaém, Ituverava, Mongaguá, Nova Odessa, Osasco, Praia Grande, Ribeirão Preto, Santa Bárbara, Santo André, Santos, São Simão, São Vicente, Sorocaba e Sumaré.

 

 
 
 
2/8/2019 - Pública Central do Servidor
Sessão Solene em homenagem aos 4 anos da Pública---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filiada à:
            
 
 
Links úteis:
        
      
 
 
 
Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Rua Tabatinguera, 91 - São Paulo - SP - Cep 01020-001 - Fone: (11) 3291-4077
 
 
Agenda eletrônica